De Onde Vem a tua Inspiração? (AC/DC)
publicado por Thaurer
Antes de mais deixem-se só dizer: WOAH!

Dia 3 de junho esperava muita energia saída daquele palco, mas sinceramente não esperava assim tanta energia.
Os clássicos estiveram lá, as musicas novas mostraram que o novo album também tem muita qualidade e que não merece nada ficar de fora da set list da banda australiana.
Aliás, foi mesmo a rock N roll train e a War Machine que mais me surpreenderam ao vivo visto que as outras já poderia mais ou menos saber com o que contar.

O feeling saído da guitarra do Angus é uma das coisas que dificilmente me vou esquecer até ao fim da minha vida.(a nao ser quando me tornar uma vitima de Alzheimer, nesse caso tenho mesmo que esquecer!)

Infelizmente não pude tirar fotos, ou melhor, tirei duas ou três com o meu telemovel, mas devido á incontrolavel força que me levava a saltar pa trás e pa frente, ficaram todas tremidas ou com dezenas de braços entre a lente e o palco. Enfim, é a vida. Se querem fotos, vão á blitz! xD

Mas coneçando pelo inicio:
Sinto-me na obrigação de dizer que fiquei MUITO descepcionado com os Vicious Five. senceramente, esperava muito mais da banda tuga que abriu as festividades. Eles bem tentaram, mas simplesmente nem eu nem o resto do povo que estava em alvalade por aquela altura estava com paciencia para os aturar a eles, ao seu sonzinho (que embora não duvido do potencial) deixou muito a desejar e ao vocalista que tanto tentou mostrar-se electrico em cima do palco que se tornou simplesmente irritante. mas hey, isto é apenas a minha opinião! E mesmo assim estou disposto a dar mais uma tentativa á banda. Apenas acho que aquele nao foi um bom dia para eles.

Quanto aos Mundo Cão, apesar de serem uma das minhas bandas tugas favoritas da actualidade, e apesar de eu até ter gostado do seu show (coisa que acredito ter sido dos poucos a avaliar pelos inúmeros "middle fingers" levantados e "Vão pra casa" que ouvi por lá) digo que aquele não era um bom publico nem um bom dia para eles actuarem. Cá para mim, a Everything is New atirou-os para quele palco apenas para os tentar vender ao publico, mas o publico simplesmente não os quis comprar! mas ainda assim mantenho-me firme na opinião que eles fizeram um show mais seguro que o dos seus "colegas de primeira parte" em Alvalade, e certamente irei vê-los ao vivo em algum concerto que eles façam em nome próprio e com uma plateia disposta a apreciar o som que eles fazem. Afinal de contas, musicas como "Caixão da razão" " Morfina" e "como um cão" não são nada de se deitar fora.

E quanto aos senhores da noite...
Bem, sobre eles só tenho a dizer isto: ENERGIA!

Os hinos dos AC/DC não ficaram de fora. Highway to hell, You Shook me all night long (esta musica fez com que mandasse uma cabeçada á rapariga que estava atrás de mim. Mais uma vez peço desculpa!) TNT, thunderstruck, The Jack (adoro esta musica. qual outra banda consegue por quarenta mil pessoas a gritar a plenos pulmões algo como "ela tem uma doença sexualmente transmissivel"?), Let There be Rock, Whole lotta rosie e etc. As musicas novas tambem se revelaram com muito potencial para serem tocadas ao vivo, tipicas musicas de AC/DC com riffs que se pegam ao ouvido e com uma energia quase infinita.

E para não faltar nada ao espetáculo, um excelente sistema de video que dava quase para antever como seria se aquele show tivesse a honra de aparecer editado em DVD e uma linha da frente com alguns canhões que encerravam a noite da melhor maneira possivel (se bem que eu continuo a achar que a For Those about to rock devia ser a musica a abrir o concerto, pois a letra sugere uma apresentação da banda, e não a despedida)

Portanto, a receita para uma das melhores bandas de sempre está dada:

Um Brian Johnson imparável e com um vozeirão que deixa qualquer um boqiaberto. Não que ele cante muito bem, mas tem uma daquelas vozes unicas e que se querem no nosso good old rock n roll.
Um Malcolm Young discreto mas sempre importante no decorrer da musica.
Um phill Rudd senhor da arte que é tocar bateria.
Um Cliff Williams que domina ali o baixo e dá uma maior profundidade ao show e que me dá grande pica para chegar a casa e pegar no baixo.
e claro, Um Angus Young em grande forma, que para além de dar uma valente lição de como se deve tocar guitarra em palco, ainda tem tempo para mostrar os seus dotes no striptease.

Foi como eu disse a um rapaz que vinha comigo no comboio para casa: Pela primeira vez acho que vi deus... e ele tinha cornos e uma guitarra!
Aqueles riffs e sólos infaliveis deixaram-me completamente KO ao fim da Noite. Acho que quando saí daquele estádio colorido não tinha em mim força para mais um salto sequer. Embora tenha tambem que admitir que aquele solo do Angus chegou a ser um bocadinho exagerado. Um solo um nadinha mais pequeno teria o mesmo efeito no publico e daria talvez espaço para mais uma musica. E penso também que se eu dissesse a alguem que deconhece-se a banda que aquilo er aum projecto a solo do guitarrista, esse alguem iria acreditar facilmente, tal é o protagonismo do Angus. Mas pronto, o Senhor Young esteve bem e nao o posso (nem quero) censurar por isso.

VIVA OS AC/DC
Deixa-nos a tua opinião sobre este post:

Postar um comentário

07/06/2009 17:15 |Blogger Aza Delta  
:venia:


Muito bom concerto. adorei mesmo.

concordo em que os vicious five nao aqueceram nem arrefeceram, para mim são uma banda banal.

Não conhecia Mundo Cão e gostei, mas irem tocar musicas sobre jazigos num ambiente de festa é meio desenquadrado. e claro que ter um publico de idiotas que faz uma fita daquelas complica sempre as coisas.

Quanto aos AC/DC, achei brutal. Não concordo quando te referes à For those about to rock. Acho que fica perfeita para terminar, aliás, para começar tinha mesmo de ser a It's a long way to the top, mas sem o bon scott não é a mesma coisa.

saudações.
(c)2009 A Outra Galáxia | aoutragalaxia@gmail.com
Optimizado para Firefox 3+ e Internet Explorer 7+ a 1280*1024